AVACI na Coreia do Sul – Foi realizado o Segundo Congresso Internacional de Autores Audiovisuais



Nos dias 17, 18 e 19 de maio, foi realizada a segunda edição do Congresso Internacional AVACI - Confederação Internacional de Autores Audiovisuais - no Hotel Novotel Ambassador em Seul, Coreia do Sul. A DGK -Directors Guild of Korea- foi a sociedade anfitriã de um encontro único e histórico, que reuniu pela primeira vez de forma presencial Diretores, Roteiristas, técnicos, produtores, legisladores e advogados especializados em direitos autorais, representando sociedades e federações dos cinco continentes. Yoon Jung Lee, vice-presidente da DGK, agradeceu o apoio da AVACI para realizar o Congresso: “para que o movimento na Coreia seja bem-sucedido, precisaremos de mais apoio de todos vocês”.


“A realização deste Congresso é um ato de apoio e incentivo aos criadores audiovisuais coreanos”, disse o diretor Park Chan-Wook, sobre um encontro que marca o retorno à discussão e debate na comunidade sobre os problemas do direito autoral no meio audiovisual. O evento é organizado em um país cuja indústria cinematográfica está crescendo e crescendo, enquanto seus Autores não têm direito a remuneração pela exibição de suas obras.



Nos dias que antecederam o Congresso, representantes de diversas sociedades de gestão de todo o mundo reuniram-se com representantes do governo coreano e fizeram declarações públicas sobre a falta de uma remuneração justa no meio audiovisual, além de prestar apoio técnico e financeiro para alcançar o direito tal como existe em outras muitas partes do mundo. Durante o Congresso, foi exibido um vídeo enviado por Yoo Jungju, congressista da 21ª Assembleia Nacional da Coreia do Sul, anunciando a recente apresentação de um projeto de lei para a proteção dos direitos dos criadores audiovisuais coreanos: “É muito importante proteger e compensar nossos Autores”, declarou e afirmou a intenção de “criar um sistema de remuneração equitativo na Coreia”.



Membros do comitê jurídico e técnico da FESAAL recomendaram à Coreia a busca por uma lei de direito à remuneração: “estamos aqui para dar suporte global a essa lei”. “Sem direito a indenização, o Roteirista recebe remuneração quando entrega a obra ao produtor, não tem mais vínculo com aquela obra e não sobra nenhum direito adicional”, acrescentou Sylvia Palma. Alexandra Cardona Restrepo, membro do Comitê Executivo da AVACI e Presidente da REDES Colômbia, parabenizou seus colegas da DGK: “estão prestes a dar uma virada extraordinária no significado de direitos autorais na Coreia”. Janine Lorente, consultora independente, acrescentou que os Autores Audiovisuais “geralmente cedem os seus direitos às produtoras, sendo muito difícil para elas manterem os seus direitos para que, após a produção da obra cinematográfica, possam obter royalties ou algum tipo de remuneração”.



A presidente da aliança pan-africana APASER, Laza Razanajatovo, falou sobre a situação dos direitos autorais audiovisuais na África, os inicios de sua sociedade e seu projeto de se tornar uma federação. Em representação das sociedades europeias, Hrvoje Hribar, da DHFR Croácia, falou da dificuldade de conseguir que as plataformas respeitem os direitos de remuneração dos criadores dos conteúdos que eles transmitem.


Yoon Jung Lee apresentou a campanha da DGK para uma remuneração justa para os Autores Audiovisuais coreanos. "Precisamos ter uma política cultural que possa proteger os direitos dos criadores", declarou.



Daniel Di Napoli, Diretor de Sistemas da DAC, apresentou e fez uma demonstração ao vivo do AVSYS, o Sistema Operacional de código aberto distribuído gratuitamente a todos os membros da AVACI, criado para uma gestão conjunta de direitos autorais audiovisuais entre empresas de gestão.


Na mesa redonda “AVACI Gender” sobre desigualdade de gênero na indústria audiovisual, Sylvia Palma desenvolveu a situação no Brasil, onde entre 1995 e 2018, 92% da produção foi desenvolvida por homens em papéis de liderança. “Assinamos a carta da paridade em 2001, mas estamos muito longe da paridade”, declarou Anja Unger, antes de citar outras iniciativas francesas na luta pela igualdade de gênero que não alteraram a situação privilegiada da ala masculina da indústria. Dong Ryung-Kim, Diretor e membro do Conselho Diretivo da DGK, demonstrou por meio de estatísticas as diferenças de gênero existentes na atual indústria audiovisual coreana.



O encontro terminou com o anúncio de uma aliança entre a REDES e a APASER e com a aprovação da criação de um escritório da AVACI na Eslovênia, um escritório regional da AVACI para a Ásia localizado na DGK e um centro regional latino-americano sedeado na Colômbia. A união dos Autores Audiovisuais do mundo e o trabalho conjunto por seus direitos materializou-se em um Congresso de sucesso indiscutível.