A REDES continua trabalhando para enfrentar a pandemia de COVID-19

O momento que o mundo está vivendo coloca a REDES – Rede Colombiana de Escritores Audiovisuais – diante de um desafio no qual continua trabalhando dia a dia: provar que uma Sociedade de Gestão Coletiva é muito mais que arrecadação e que, acima de qualquer outra consideração, trabalha para garantir o bem-estar dos criadores do audiovisual.

O Conselho Diretivo decretou imediatamente a emergência sanitária, criando um subsídio Covid-19, consistente em uma soma de dinheiro para uso livre, que todos os membros podiam acessar solicitando-o por e-mail. Única condição: ser membro da REDES.


Conforme expresso pelos nossos afiliados, este primeiro subsídio foi recebido, além do dinheiro, como uma clara demonstração de que os escritores da REDES não estavam sozinhos.


A pandemia e o confinamento se estenderam e o Conselho Diretivo, ciente da grave situação que muitos dos membros enfrentam, criou um segundo subsídio Covid-19, com as mesmas características do primeiro, que está sendo entregue desde 14 de junho.


Além disso, a área de Bem-Estar Social, que foi estruturada e posta em operação, projetou 12 programas de benefícios para nossos membros, os quais incluem subsídio de desemprego, de saúde, atendimento psicossocial, apoio para estudos e assistência a calamidades.

Todos esses planos foram executados graças à gestão que realizaram para arrecadar o dinheiro da televisão aberta, à alocação de 10% dessa arrecadação ao investimento social, e à política da REDES de trabalhar com o compromisso de ser #MaisQueArrecadação.


Graças aos acordos com os dos principais canais de televisão aberta da Colômbia – Caracol Televisión e RCN Televisión, conseguimos manter o funcionamento da REDES e desenvolver fórmulas de apoio imediato aos membros. Caso contrário, os autores teriam ficado totalmente desprotegidos nesta crise, pois a maioria deles não se beneficiou das ajudas oferecidas pelo Governo Nacional.


Apesar das alterações causadas pela pandemia, a REDES conseguiu cumprir seus primeiros pagamentos às sociedades irmãs de gestão coletiva e planeja realizar a primeira distribuição de arrecadação nacional na última semana de agosto. Tudo isso graças à grande ajuda, não só da ferramenta tecnológica do sistema de distribuição FESAALSYS, mas também graças ao constante apoio político e técnico oferecido pela FESAAL – Federação de Sociedades de Autores Audiovisuais Latino-Americanos – aos seus membros.


A atual crise gerou incertezas sobre as arrecadações do ano que vem, por isso, um dos principais desafios é procurar outras fontes de arrecadação para evitar uma queda vertiginosa na renda da sociedade que poderia prejudicar seu funcionamento. Para reduzir o impacto negativo, a REDES desenvolveu uma estratégia que aumenta a arrecadação internacional dentro da receita total. Isso considerando que as sociedades irmãs devem ter arrecadações dos últimos anos sobre obras protegidas pela REDES.


#COLOMBIA #COVID19 #PANDEMIA #REDES